Bem vindos!

A espera de um filho é vista como uma benção e alegria para muitos, entretanto, para alguns, pode ser a perda da liberdade, diversão e relacionamentos além de acrescentar mais responsabilidade a vida dos pais. Esse é um exemplo de jovens que ao descobrirem sua sexualidade, em muitos casos precocemente, praticam o sexo com imprudência e como consequência privam o desenvolvimento natural da sua vida, da sua adolescência.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Gráficos

Segundo o Censo do IBGE de 1991, a população de 10 a 19 anos corresponde a 21,84% do total da população brasileira, o que equivale a 32.064.631, sendo 50,04% do sexo masculino e 49,96% do sexo feminino (Brasil 1996). Sendo visto claramente na tabela abaixo:

n45a04i1.jpg (37984 bytes)

Fonte: Brasil s/d, p. 5.



Boa parte das mães jovens não estão preparadas para assumir a responsabilidade que é ter e cuidar de um filho. Tendo em vista casos assim, o aborto é uma das medidas mais procuradas como solução.
Na grande metrópole paulista o número de abortos de jovens comparados as outras faixas etárias é alarmante. Visto no quadro abaixo:

n45a04i2.jpg (32195 bytes)

Fonte: Folha de S. Paulo 1997, p. 8.






Nascidos vivos ocorridos e registrados no ano, idade da mãe na ocasião do parto = menos de 15 anos/ 15-19 anos e locas do nascimento - Brasil/ Sexo = Total.










Cabe destacar que a gravidez precoce não é um problema exclusivo das meninas. Não se pode esquecer que embora os rapazes não possuam as condições biológicas necessárias para engravidar, um filho não é concebido por uma única pessoa. E se é à menina, que cabe a difícil missão de carregar no ventre, o filho, durante toda a gestação, de enfrentar as dificuldades e dores do parto e de amamentar o rebento após o nascimento, o rapaz não pode se eximir de sua parcela de responsabilidade. Por isso, quando uma adolescente engravida, não é apenas a sua vida que sofre mudanças. O pai, assim como as famílias de ambos também passam pelo difícil processo de adaptação a uma situação imprevista e inesperada.


























Fonte:http://www.associacaopaulistaviva.org.br/_img_noticias/428.jpg. Consultado em 26/06/2011






















Fonte: IBGE/PNAD de 1992 e 2006. Elaboração IPEA






Motivos atribuídos a gravidez na adolescência.

Fonte: http://almmmuvgna.blogspot.com/. Consultado em 26/06/2011




Percentual de partos em mães com menos de 20 anos de idade no Rio grande do Sul

Fonte: Secretaria Estadual da Saúde/NIS







Idade da mãe




Referência

<12

12- 17

18 – 18

19- 19

20 e +

Total

Taxa de gravidez

Ano



Número de nascimentos





2004

2

3819

1836

1960

18038

25673

30,42%

2005

4

3834

1802

1997

18685

26368

28,96%

2006

7

3601

1848

1921

18629

26006

28,37%

2007

5

3501

1571

1787

17887

24752

27,73%

2008

2

2505

1120

1202

12601

17430

27,25%

Nenhum comentário:

Postar um comentário